Tempo:

Mercado recebe estimativas de safra e segue atento a clima para o trigo

O RS deve produzir 3,4 milhões de toneladas, crescimento de 62,1% em relação ao ano anterior.

Publicado em: 10/09/2021

Nessa semana reduzida, em virtude do feriado do Dia da Independência, o mercado brasileiro de trigo recebeu as novas estimativas de safras por parte de importantes entidades nacionais. A notícia de alívio do estresse hídrico na Argentina amenizou as preocupações quanto ao aperto de oferta.

Conab

A produção brasileira de trigo em 2021 deverá ficar em 8,16 milhões de toneladas, segundo o 12 levantamento para a safra brasileira de grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), contra 6,23 milhões de toneladas do ano anterior. Em agosto, a previsão era de 8,59 milhões de toneladas.

A Conab indica uma área plantada de 2,69 milhões de hectares, contra 2,34 milhões do ano anterior. Em agosto, a previsão era de 2,7 milhões de hectares. A produtividade está projetada em 3.031 quilos por hectare, acima de 2.663 quilos de 2020 e abaixo da previsão de julho, de 3.187 quilos por hectare.

IBGE

Conforme o IBGE, a estimativa da produção do trigo foi de 8,2 milhões de toneladas, com declínio de 2,3% em relação ao mês anterior e crescimento de 31,8% em relação a 2020, sendo que o rendimento médio deve aumentar 16,5%. A área plantada cresceu 13,1% em decorrência do preço do produto, que subiu acompanhando as demais commodities agrícolas. A Região Sul deve responder por 90,5% da produção tritícola nacional em 2021.

No Paraná, maior produtor de trigo, com participação de 45,5% no total nacional, a produção foi estimada em 3,7 milhões de toneladas, declínio de 4,3% em relação ao mês anterior, contudo, crescimento de 19,3% no comparativo anual.

O Rio Grande do Sul, segundo maior produtor, com participação de 41,7% do total nacional, deve produzir 3,4 milhões de toneladas, crescimento de 62,1% em relação ao ano anterior. Em Santa Catarina, a estimativa da produção foi de 275,6 mil toneladas, aumento de 58,9% em relação ao ano anterior.

Argentina

A ocorrência de chuvas na semana aliviou o estresse hídrico das lavouras de trigo da Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 30% das lavouras estão em situação de regular a seca. Na semana passada, eram 40%. Em igual período do ano passado, 46% da área estava nessa situação. A superfície totaliza 6,5 milhões de hectares. As lavouras se dividem entre excelentes ou boas (46%), normais (33%), regulares ou ruins (31%).Conforme a Bolsa de Rosário, a colheita de trigo da Argentina deve atingir 20,5 milhões de toneladas, levemente acima das 20,1 milhões projetadas anteriormente.

Fonte: Agência SAFRAS