Tempo:

Milho: produtividade da 2ª Safra está aquém da observada no último ano, diz Conab

Conjuntura é de alerta para a ponta compradora do grão, ressalta acompanhamento do órgão.

Publicado em: 22/06/2021

Uma novidade oferecida a partir deste mês pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai facilitar o acompanhamento do mercado de produtos agrícolas produzidos no estado de Minas Gerais. Mensalmente serão publicadas análises de conjuntura que abordam aspectos relacionados a preços, evolução do plantio, colheita e canais de comercialização, dentre outras questões relevantes para o agronegócio mineiro.

A Companhia já realiza, em nível nacional, análises semanais e mensais de conjuntura, publicadas em seu site. Com a nova modalidade, Minas Gerais passa a ser o segundo estado a publicar a conjuntura local, juntamente com Mato Grosso que já oferece esta oportunidade ao público.

Já estão disponíveis no site da Conab as conjunturas referentes ao mês de maio, abordando os produtos café, feijão, milho e soja. Para a oleaginosa, a avaliação aponta que os preços no estado se mantiveram em patamar elevado, com pouca variação em relação ao mês anterior. Com a colheita concluída, as lavouras confirmam um bom desempenho, apesar do atraso no plantio.

Em relação ao milho 1º safra, apesar das intempéries climáticas que afetaram o plantio, as lavouras tiveram bom desenvolvimento e a produtividade registrou 6.171kg/ha. O mercado permaneceu aquecido no mês de maio, uma vez que as condições climáticas não contribuíram para o desenvolvimento da 2ª safra, cuja produtividade está aquém da observada no último ano, alertando assim, a ponta compradora. 

Para o feijão, a expectativa é que os preços recuem com a entrada do produto de 2ª safra no mercado, atrelado à queda estimada da demanda. O cultivo de feijão 1ª safra no estado está com a colheita concluída. A produção registrou aumento em relação à safra passada de 12%.

Por fim, com a expectativa de quebra de safra, a demanda continua aquecida pelo café mineiro, principalmente a demanda externa, o que contribui para alta dos preços que atingiram patamares recordes em todas as praças no estado.

Fonte: Datagro