Tempo:

77% dos jovens do Bolsa Juventude Rural investem o que ganham na propriedade

O levantamento foi apresentado durante Seminário promovido pela Secretaria da Agricultura e Emater-RS.

Publicado em: 18/06/2021

Os dados do programa Bolsa Juventude Rural da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) impressionam. 1.735 jovens atendidos, 2.036 bolsas disponibilizadas, 569 escolas atendidas em 491 municípios de 2013 a 2020 (com repetição). “E temos potencial para atingir mais municípios e atender mais jovens”, destaca Emanuelle Magiero, coordenadora do programa e chefe da Divisão de Políticas Públicas para Jovens, Mulheres e Idosos.

De 2017 para 2018 houve um aumento de 142% na procura dos jovens pelo programa, passando de 327 para 793. Em 2018, a procura aumentou 45%, passando para 1152 e no ano de 2020 o aumento foi de 1,5%, passando para 1169. “O programa tem procura, tem interesse e tem potencial para ampliar ainda mais’, destaca.  

O levantamento mostra que o maior desafio é o preenchimento correto da documentação exigida pelo edital. Entre os inabilitados para o programa, 40% não apresentaram corretamente a documentação pessoal e os documentos da família, 25% tiveram problemas com a documentação da escola, 19% houve algum erro no preenchimento ou falta de assinatura no pré-projeto e 16% apresentaram problemas na DAP/Extrato. Estes percentuais demonstram a necessidade de conhecimento do programa e do edital por quem auxilia o jovem, para que o mesmo apresente corretamente a documentação.

Os dados também revelaram que 77% dos jovens investem o valor da bolsa diretamente no projeto produtivo, 18% utiliza no projeto produtivo e para uso pessoal e 5% apenas para uso pessoal. “Estes números mostram que o programa está cumprindo um dos seus principais objetivos que é garantir a sucessão rural, já que os jovens usam os recursos que recebem para investir no seu projeto, na sua propriedade”, destaca Emanuelle.

Os dados foram apresentados hoje (17) à tarde durante o 1º Seminário Estadual do Bolsa Juventude Rural, que ocorreu de forma virtual. Mais de 300 pessoas, entre estudantes, dirigentes de escolas e extensionistas da Emater, participaram de diferentes regiões do Rio Grande do Sul.

A secretária Silvana Covatti participou do evento e falou para os jovens sobre a importância do Bolsa Juventude Rural. “Este programa incentiva o jovem a ter o seu ganho, a continuar os estudos e ter aquele preparo para estar e permanecer na propriedade”. E garantiu seu empenho em buscar recursos para trazer mais jovens para o programa.

O Presidente da Emater-RS/Ascar, Geraldo Sandri, destacou que a sucessão rural é um dos grandes focos da instituição e que com a melhoria das condições do homem no campo, o desenvolvimento de novas tecnologias e a melhoria dos preços agrícolas, está atraindo cada vez mais pessoas a permanecerem no campo.

Exemplos de quem participa do Programa

A diretora da Escola Estadual Liberato Salzano, do município de Liberato Salzano, diz que a escola participa desde 2018, com 34 jovens. São 11 jovens do colégio e 23 da Escola Estadual Indígena. “Mesmo durante a pandemia, criamos grupos de whatsapp para estimular os alunos a participar do Programa”, revela Rosicler de Carli. Ela citou o exemplo de um estudante da escola que comprou sementes para pastagens dos bovinos de leite para a sua propriedade e um notebook com os recursos da bolsa.

O novo edital deste ano ainda não tem data para ser publicado.

Fonte: SEAPDR